PROTESTE lança aplicativo para medição da velocidade da internet móvel

Por PROTESTE -

Quem está insatisfeito com a velocidade da internet no celular agora tem a ajuda de um aplicativo lançado pela PROTESTE Associação de Consumidores para conferir a qualidade do serviço recebido. Basta acessar www.testesuaconexao.com.br para saber como baixar o aplicativo exclusivo para medir a real velocidade da sua internet móvel em casa, na rua, no trabalho ou onde quer que se esteja.

Ao usar o aplicativo, além de descobrir a velocidade da internet na área de uso, o consumidor ainda contribui para a criação de um mapa com a cobertura real da velocidade das redes móveis em todo o Brasil. Dessa forma, quanto mais pessoas aderirem à  proposta, mais haverá informações reais sobre o nível de qualidade da conexão móvel por todo o país. Um mapa dá uma visão global da qualidade das redes móveis das principais operadoras nacionais.

A qualidade do serviço que se utiliza é bem diferente do que é prometido pela operadora. Com base na cobertura e na velocidade da conexão nos locais que mais se frequenta, será possível identificar qual operadora atende melhor às necessidades de cada perfil de usuário.

O aplicativo é gratuito e colaborativo, ou seja, a sua eficiência aumenta com a quantidade de pessoas que o utilizam. Ele está disponível para os sistemas operacionais Android e iOS.

O aplicativo garante o anonimato, e permite simular a experiência real com várias análises: além dos habituais testes de "download" e "upload", e latência (tempo que leva para um pacote de informação deixar o dispositivo original e chegar ao seu destino), também inclui testes de qualidade à navegação na internet e ao "streaming" do Youtube.

De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), os serviços de conexão à internet têm que respeitar os padrões mínimos de qualidade definidos na regulamentação. As obrigações são medidas de duas formas:
 
  • A velocidade da conexão não deve ser inferior a 40% da velocidade que foi ofertada ao cliente. Ou seja, quando a prestadora oferece um pacote com velocidade de 1 Mbps, a velocidade não deve ser inferior a 400 kbps;
     
  • Considerando todas as conexões à internet, a média mensal da velocidade não deve ser inferior a 80% da velocidade ofertada ao cliente. Ou seja, a média da velocidade ao longo do mês não deve ser inferior a 800 kbps, seguindo o exemplo acima.
     
Com bastante frequência, as operadoras de telefonia celular oferecem planos de conexão à internet com franquias de dados limitada, nos quais é prevista a redução da velocidade de conexão após o cliente atingir certo limite de tráfego (por exemplo: 300 MB por mês). Caso ofereça um plano deste tipo, a operadora é obrigada a informar tanto a velocidade de acesso a que você tem direito até atingir a franquia, quanto a velocidade a que você terá direito depois de a franquia ser atingida.

Velocidade reduzida

Sempre que as prestadoras de telefonia celular oferecerem serviços de conexão à internet, elas têm que respeitar os padrões mínimos de qualidade definidos na regulamentação. O problema é que nos contratos, as principais operadoras fixam velocidades baixas, incompatíveis com a tecnologia utilizada no 3G e 4G e usam a palavra até para se isentar de cumprir o limite ofertado.

A TIM e a Vivo oferecem em contrato no 3G, velocidade de conexão disponível para baixar arquivos da internet (download) de até 1,0 Mbps (um e meio megabit por segundo) e para enviar arquivos para internet (upload) de até 100 Kbps (cem kilobits por segundo). E para o 4G: velocidade de conexão disponível para download de até 5 Mbps (cinco megabits por segundo) e para upload de até 500 Kbps (quinhentos kilobits por segundo).

A Claro e Oi estabelecem em contrato para a internet móvel que a velocidade de referência de conexão disponível no acesso é de até 1 Mbps para download e 128 Kbps para upload para navegação da rede 3G. Para a rede 4G, a velocidade de conexão é de até 5Mbps para download e 512kbps para upload.
Enviar: Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: