As sociopatas do hospital são só loucas e cruéis?


Por Fernando Brito, Tijolaço

Desculpem-me os crédulos.

Eu não acredito em tudo.

Não acho que 60 ou 70 alucinados tenham, por acaso, se encontrado na Câmara dos Deputados e, “de repente”, resolvido invadir o plenário, subir na mesa e pedir “um general, um general” para impor uma ditadura militar.

Assim como não acredito que as quatro patéticas figuras que se dispõem a agredir verbalmente a mulher de Lula, Marisa, em coma numa UTI, como a Veja fez-lhes questão de dar palco, possam ser apenas loucas macabras “espontâneas”.

Sim, eu sei que são os frutos envenenados do fascismo que a mídia inoculou em boa parte da classe média, mas para caírem assim estes frutos, tem alguém sacudindo a árvore.

Existe um núcleo clandestino de comando que se serve destas pessoas indispostas ao convívio social civilizado.

São os “gestores de sociopatas”, gente tão bem articulada quanto avessa à democracia.Seu objetivo é envenenar a sociedade e manter  acesa a chama da agressão, permanentemente.

Os transeuntes que as mandavam procurar algo de útil o que fazer estavam enganados.

Elas estavam fazendo algo que, embora abjeto, era útil para alguém que não estava ali.
Enviar: Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: