Planalto solta nota para justificar mentira de Temer


Governo fala em conceito ampliado de refugiado depois que Michel Temer incluiu os haitianos entre os refugiados recebidos pelo Brasil nos últimos anos, em discurso na ONU, inflando de 8,8 mil para mais de 95 mil pessoas o número de refugiados que chegaram no País; segundo informações oficiais do próprio governo federal, porém, vivem hoje no Brasil 8,8 mil refugiados de 79 países diferentes

Brasil 247 -

O Palácio do Planalto divulgou uma nota para rebater reportagens que saíram na imprensa nesta segunda-feira 19, após discurso em que mentiu sobre o número de refugiados que o Brasil teria recebido nos últimos anos.

Em sua fala durante reunião sobre refugiados e imigrantes nas Nações Unidas, Temer disse que o Brasil recebeu mais de 95 mil refugiados nos últimos anos. O dado inclui 85 mil haitianos que vieram morar no País. Sem os haitianos, o número seria de 8.800 refugiados, de 79 nacionalidades diferentes.

A convenção internacional sobre o assunto define como refugiados, porém, apenas pessoas que deixam seus países motivadas por perseguição racial, religiosa, política ou social, e não por desastres naturais, como é o caso dos haitianos.

Na nota, o Planalto fala em conceito ampliado de refugiado: "O Plano de Ação de Brasília, de 2014, adotado pelos países da América da Latina e do Caribe, estende ao Alto Comissariado da ONU para Refugiados a tarefa de dar conta de deslocados por desastres naturais, alargando, na perspectiva do Brasil e de outros atores relevantes nos debates sobre a matéria, o conceito tradicional de refugiados".

A nota diz ainda que "é nessa perspectiva que o Brasil concede vistos humanitários a nacionais haitianos que buscam abrigo no País após o terremoto de 2010". E que a "América Latina está na vanguarda do tratamento do tema dos refugiados". Mas os dados oficiais do próprio governo federal informam que vivem hoje no Brasil 8,8 mil refugiados.
Enviar: Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: