Ricos do Brasil 'matariam a mãe' por green card, diz britânico que abriu clube de jazz em favela

Tavares Bastos oferece vistra deslumbrante da Baía de Guanabara
Bob Nadkarni é figurinha fácil na noite do Rio. Na totalidade das vezes, cariocas e muitos estrangeiros vão até a casa dele, o The Maze, onde o britânico vive e toca o clube de jazz e hostel.

Por BBC -

Considerado por revistas especializadas um das mais importantes casas do gênero no mundo, o local movimenta a pequena comunidade Tavares Bastos, no Catete.

A construção cresceu e se modificou desde 1981, quando Bob chegou ao local. E atrai muitos estrangeiros, à procura de jazz e de "uma experiência genuína de Brasil", diz Bob.

"Aqui estão os verdadeiros cariocas", diz o produtor britânico, que vive no na cidade há 44 anos, 35 dos quais em Tavares Bastos.

"Se você for a Ipanema, estão todos atrás das grades", diz ele, antes de afirmar que nos bairros de elite as pessoas querem "ser americanas", e "dariam suas mães por um green card, o visto de residência dos Estados Unidos.

Tavares Bastos é uma das mais tranquilas comunidades do Rio. Tem uma vista deslumbrante da Baía de Guanabara e jamais é lembrada por incidentes relacionados ao tráfico de drogas.

'Aqui estão os verdadeiros cariocas', diz o produtor britânico, que vive no na cidade há 44 anos, 35 dos quais em Tavares Bastos.
Diferentemente de grande parte das comunidades cariocas, Tavares Bastos é constantemente citada no noticiário por ser vizinha ao quartel-general do Batalhão de Operações Especiais, o temido Bope, instalado ali em 2000. O The Maze está a 170 metros do batalhão.

No ano passado, o The Maze teve problemas com a Prefeitura, que questionou a qualidade estrutural do clube de jazz.

Nadkarni porém diz que seu imóvel reflete o entorno, tanto a forma de construir nas comunidades, como a floresta e o morro ao redor.

A história de Nadkarni faz parte da série #Olhares, na qual a BBC Brasil traz depoimentos de estrangeiros sobre o Brasil. Os vídeos serão publicados ao longo dos Jogos Olímpicos.

No próximo episódio, o pacifista belga Pol Dhuyvetter revela seu projeto: tornar o Morro da Babilônia a primeira comunidade autossustentável em energia elétrica.


Vídeo:

Enviar: Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: